quarta-feira, março 14, 2007

Os "populares"

Há duas dúvidas que me atormentam. A primeira é saber a origem do Universo. A segunda, ainda mais insondável, é compreender a verdadeira essência dos chamados "populares". Não me refiro àqueles senhores com duplas consoantes nos apelidos que usam coletes enchumaçados quando vão caçar javalis para o Alentejo. Refiro-me àquelas pessoas que se reúnem junto aos estádios de futebol em dias de derby e que se concentram às portas dos tribunais de cada vez que um violador de crianças vai a julgamento, prontos a sacar das fisgas e da bola de cuspo. Antes de mais, presumo que sejam trabalhadores liberais. Malta que é dona do seu próprio tempo e dinheiro, que se dispõe a trabalhar apenas nos intervalos destes fenómenos de grande calibre mediático. Em segundo lugar, eles dominam na perfeição a técnica do Efeito de Heisenberg, um fenómeno que, aplicado ao campo do jornalismo, significa que o simples facto de uma câmara estar a cobrir um acontecimento, muda esse mesmo acontecimento. Ou seja, basta que os "populares" vejam a luzinha vermelha do rec numa câmara de exteriores para passarem de populares indignados a populares ceguinhos de raiva, ou de tipos equilibrados e com desportivismo para se transformarem em adeptos que se auto-imolam pelo fogo vestidos nas cores da sua equipa. Tenho para mim que Portugal deve ter dos melhores "populares" da Europa, mas se calhar estou enganada, porque não costumo ver telejornais dos outros países. Vendo bem isto até dava uma tese de doutoramento. Vou apostar nisso! Até daqui a três anos, caros leitores.

3 comentários:

Olavo Lüpia disse...

Muito bom!

Invisible bastard disse...

Não te vás embora... Os teus textos são uma maravilha e este está genial...
Lindo!!!

cat disse...

MAs tu estás para ir embora?
Que se passa que eu não sei?
Ai ai!
Contem-me TUDO