terça-feira, agosto 12, 2008

Olga Korbut, 1972, paralelas assimétricas

1 comentário:

lágrima disse...

Oh my god!!! Bruuutal!